O ÚLTIMO REI DO NEPAL

O rei Gyanendra talvez seja o último rei do Nepal. O anterior foi assassinado. Gyanendra era tio do rei anterior, e o povo desconfiava que tenha sido o mandante de sua morte. O anterior, Birendra, foi assassinado dentro do palácio, com toda a família real. Alguém, armado de metralhadora portátil, fuzilou toda a família, que estava sentada na mesa de jantar. E depois se matou. Era o príncipe. Mas esta versão nunca convenceu ninguém.
O anterior, Birendra, foi um dos homens mais ricos do mundo. Apesar de corrupto, o povo o amava. Construiu o novo palácio. E a nova coroa, que custou milhões de dólares. Casou-se com a cantora de cabaré (dizem), que já era casada. Chamava-se a Rainha Aishwarya Rajya Laxmi Devi Shah. Era bela.
Fui ao Nepal em 93, 95 e 97. Birenda, o anterior, era rei.
Um dia, fomos receber uma amiga no aeroporto de Katmandhu. Como o rei ia sair do palácio à tarde, a cidade foi dividida ao meio pela manhã. Interditado o caminho por onde o rei ia passar para Pashupati, sagrado lugar hindu. Quase não conseguimos voltar para a Lótus Guest House.
Khatmandu é a reunião de 3 antigas cidades. Em Boudha estávamos nós. Ali, um monge budista, chamado Shamar Rinpochê, alertou o rei anterior Birenda do perigo de sua morte. Mais tarde, o rei teve um enfarte. Achou que era o perigo. O monge disse que não era. Era pior. O rei não acreditou.
Birenda, o anterior, vivia cercado de seguranças. Os muros do palácio, eletrizados, matavam curiosos. Mas o assassino morava lá dentro, junto com o rei. Era seu filho.
O Rei anterior, Birenda, significava o próprio deus Vishnu. Trocou o velho palácio de Hanuman Dhoka pelo novo, que mandou construir e apareceu na TV agora. Eu visitei o velho palácio. O novo ocupa uma área gigantesca em Narayan Hity, perto do centro de Thamel. São vários quarteirões. O velho palácio Hanuman Dhoka é um labirinto de corredores e salas escuras, com o nome do invencível protetor do exército nepalês, Sri Hanuman, o deus macaco. O Nepal nunca foi invadido pelos inimigos externos por causa dele.
O último rei do Nepal, Gyanendra, agora deposto, foi coroado naquele velho palácio de Hanuman Dhoka, e entronizado em trono de ouro, com uma grande serpente de ouro como espaldar. Mas o velho palácio foi cenário do maior massacre da história nepaleza. A célebre e sanguinolenta carnificina de Kot, de 1846, quando o Primeiro Ministro, Jung Bahadur Rana e seus 16 irmãos, mataram mais de 150 rivais no mesmo pátio. Pouparam o rei e a rainha.
Os maoístas agora estão no poder. Que os deuses o protejam.