UM GRANDE ERUDITO : J.  DE MATOS IBIAPINA

      

             Prof.  Pós-Doutor Francisco da Cunha e Silva Filho (ABRAFIL, CMRJ, UFRJ)

                                                           À minha esposa Elza, com muito amor

RESUMO: Este artigo apresenta  um resumo dos principais  dados  biobibliográficos de um dos  ilustres  membros co-fundadores  da Academia Brasileira de Filologia (ABRAFIL, sigla em  português). Aludo  ao Major J. de  Matos Ibiapina, consoante    sua forma de usar o nome o nome completo  em todos os seus livros,   (”J, ” forma  abreviada  para “Julio,”), mestre de línguas (francês,  inglês e alemão), escritor, filólogo, político, jornalista, ensaísta e tradutor que, em todas estas atividades,  ganhou  muita notoriedade, máxime  no campo  do ensino de línguas estrangeiras.|

Palavras-chave: Língua - Livro didático -  Método direto – Ensino – Tese –  Biobibliografia  - Acadêmico - Geração

                      

                               A GREAT SCHOLAR: J. DE MATOS IBIAPINA

                                               

ABSTRACT: This article sums up the main  biobibliographical  information  about one of   the   distinguished  co-founders members of  Brazilian  Academy of  Philology (ABRAFIL  in Portuguese acronym).I am referring to Major  J. de  Matos Ibiapina according to his usual way of putting his full name  in his published  works (“J,” short form  for “Julio”),   a teacher  of languages (English, French and German),  a writer, a philologist, a politican, a  journalist, an essayist  and a translator   who, in all these   activities,  achieved  a higly respected   position, chiefly in the field of  teaching foreign tongues.

Keywords: Language - Textbook - Direct method -  Teaching - Thesis –  Bioblibliography  - Academic – Generation 

          

             

               J. de Matos Ibiapina nasceu em Aquiraz, Ceará, em 22 de setembro de  1890 e faleceu  no Rio de Janeiro em  1947.   Era filho de um chefe político. Cursou os preparatórios no Liceu do Ceará. Ingressou na Faculdade de Direito do Ceará e, em seguida,  transferiu-se  para  a Escola de São Paulo. No  entanto, não concluiu Direito. Preferiu  viajar para a Europa onde ficou por um   bom tempo  estudando com afinco inglês,  francês  e alemão, respectivamente, na Inglaterra, França e Alemanha  

               De 1911 a 1912, permanece no Ceará  e   vai trabalhar no Jornal da Manhã. Em 1913, retorna à Europa, passando pelos Estados Unidos. Voltando  ao país,  viaja  para o Ceará e retoma o jornalismo dirigindo o Diário do Estado. Ao mesmo tempo leciona no Liceu do Ceará, na Escola Normal.  Posteriormente,  exerceu o cargo de Secretário de Fazenda do Ceará e ainda   cumpriu um  mandato de deputado estadual  no seu estado.      

             Era positivista, combateu o clericalismo e foi jornalista  aguerrido.  Fundou  um jornal de oposição, O Ceará  (1924). Em seguida, fundou A Nação, jornal oposicionista, contra a política local e nacional. Segundo dados colhidos na Internet,  a ficcionista Rachel de Queiroz (1910-2003) ) estreara na vida literária naquele periódico por ele fundado. No Rio de Janeiro  colaborou  para os jornais  Correio do Povo Correio da Manhã.       

            Há muitos anos, pesquisando na famosa Biblioteca Nacional do Rio de Janeiro, casualmente me deparei com um livro que me chamou a  atenção, cujo título, se me lembro bem, era Cearenses ilustres no Rio. Não me recordo tampouco do seu autor, da editora e data de publicação. Por mera curiosidade, solicitei ao funcionário da biblioteca que me trouxesse o livro sobre os cearenses no Rio. Qual não foi minha alegria quando dei com um capítulo que apresentava uma síntese biográfica de Matos Ibiapina, introduzida por uma foto dele, um senhor ainda jovem e de semblante simpático. Foi, então, que me informei sobre alguns fatos de sua vida de autor didático e de sua formação intelectual. 

         A  trajetória intelectual   e biográfica de J. de Matos Ibiapina  é uma bela história de amor aos estudos, de inteligência inteiramente  devotada à cultura na sua mais larga dimensão.  Interessei-me por sua figura de intelectual e de  professor pela admiração crescente  que dele ia tendo à medida que lia suas obras para o ensino das línguas inglesa e francesa.          

         Matos Ibiapina, na época de sua intensa atuação docente, era major do exército, tanto é verdade que nos pareceres críticos sobre suas obras dão-lhe o tratamento de Major Ibiapina. Parece-me  que professores civis daquela época tinham direito à patente de oficial superior quando na função de professor de uma instituição de ensino militar.[1]

          Seus dados biográficos informam que os seus  estudos feitos na  Europa foram  através de  bolsas de estudos, seguramente em razão de seus dotes para idiomas. Tanto assim que sua produção didática se divide em estudos de inglês, francês e alemão. Entretanto, seu foco maior em línguas foi o inglês, seguido do francês e do alemão. Todavia, o  período que me parece o mais fértil de sua produção didática se situa nos anos de  1930   a 1940.

          Na língua inglesa foi brilhante e fecunda a sua atividade, resultando nos seguintes livros: From facts to grammar em quatro volumes, editados de 1934 a 1937. O primeiro volume teve 4 edições; o segundo, duas edições; o terceiro, uma edição; o quarto, também uma  edição. Todos publicados pela conhecida Edição da Livraria do Globo, de Porto Alegre.

          Sua produção didática em francês, até onde pude verificar, se restringiu apenas aos volumes Lecture expliquée, que teve 3 edições, respectivamente, de 1933, 1935 e 1937,  à   La grammaire par la langue em três séries e   à obra Les premiers pas. Quanto à obra La grammaire par la langue só encontrei a data da publicação da  primeira série,  edição de 1936. A obra Les premiers  pas, conforme se vê na capa, indica tratar-se de uma série de livros. Entretanto, não consegui descobrir se o autor escreveu os volumes seguintes. Em alemão, todavia, não encontrei  tampouco nenhuma  indicação  de que tivesse  publicado algum trabalho didático.

        Em 1933, escreveu ainda o volume único English easily mastered, que teve três  edições, sendo que  a terceira edição, aumentada e ilustrada (quase todas  as suas obras didáticas eram  ilustradas), desse volume é de 1940, se destinava aos dois  últimos anos do curso ginasial e escrito nos moldes do Lecture expliquée. Aquele volume veio a lume no mesmo ano da famosa série From facts to grammar. Escreveu  ainda o livro First steps, porém, na minha pesquisa não  nenhum  indicação da imprensa.  

       Convém ressaltar que Matos Ibiapina, já no remoto ano de 1921, apresentou uma tese, Construção alemã, que foi aprovada pela Congregação do Colégio Militar do Rio de Janeiro. Isso quando o autor tinha 31 anos, o que prova que, em geral, os espíritos talentosos são precoces. 

        A par de sua imensa atividade docente, publicou  a obra Brasil de ontem e de hoje(igualmente sem as indicações de imprenta. Essa obra trabalho é de natureza política. Na condição de tradutor, creio que foi o primeiro tradutor  brasileiro da obra de Adolph Hitler, Mein Kampf  (Minha luta), na qual o ditador nazista narra a sua autobiografia. A  tradução foi diretamente do alemão e lhe valeu rasgados elogios de Djacir Menezes (1907-199), sociólogo,  ensaísta,  jurista  e filósofo. Por outro lado,   a tradução  do livro de Hitler  causou  polêmica  e foi  impedida de circular no país. Não obstante isso,   alguma editoras continuarem   publicando a tradução, posto que judicialmente   proibidas.  

       Matos Ibiapina, um erudito nos estudos filológicos de línguas estrangeiras, escreveu seus livros didáticos acompanhando os mais atualizados conhecimentos para o ensino de línguas vivas, bastando afirmar que utilizou o direct method - abordagem no ensino de idiomas na qual o conteúdo textual, gramatical e de aplicação prática era escrito em inglês, segundo podemos deduzir da leitura de seus elucidativos prefácios às edições de seus livros, nos quais expõe sua defesa do direct method que, no país, foi introduzido  no início de 1932 por Henrique Dodsworth (1895-1975), diretor então do Externato Pedro II e, segundo ele, estimulado pelo professor e filólogo Delgado de Carvalho (1884-1980), que foi vice-diretor do Externato Pedro II. 

           Matos Ibiapina, no entanto, ao utilizar o direct method, não o fez com os exageros de um novo approach linguístico. Procurou adaptá-lo à sua longa experiência no ensino do francês e inglês no Colégio Militar de Fortaleza, do qual foi catedrático,  no Colégio Militar em Porto Alegre e no então Distrito Federal. 
         Suas obras didáticas foram bem recebidas por ilustres professores e filólogos do Brasil, como, entre outros, João Ribeiro (1860-1934), Hygino Aliandro,[1] A par disso, foram   adotadas em grandes estabelecimentos de ensino pelo país afora e até mesmo - é lícito frisar – na Inglaterra, onde foram elogiadas e mesmo adotadas por professores ingleses e favoravelmente resenhadas pelo The Times Educational Supplement de Londres, que sublinhou o valor e a oportunidade da série From facts to grammar. 
        Não é minha intenção  fazer neste artigo uma resenha geral de todos os volumes publicados pelo grande mestre. No entanto, não escondo o prazer que me propiciou a leitura dos demais volumes que só vim a conhecer no Rio, pois, em Teresina, Piauí,  só havia lido, na biblioteca de meu pai,  o primeiro volume daquela  série juntamente com o  primeiro volume  da La grammaire par la langue (1936). Foi nos sebos do Rio de Janeiro  que adquiri toda a série de From facts to grammar e o volume English easily mastered.

       São obras obviamente  já defasadas didática e metodologicamente, porém,  são ainda muito  válidas do  ponto de vista histórico-filológico  e  constituem um farto   e fecundo  material para pesquisas metodológicas de avançados  estudos  comparativos    no campo da língua inglesa   nos níveis de pós-graduação.

        A despeito disso, i.e., de serem obras didáticas  antigas,  eu as queria ler pelo prazer de conhecê-las, quiçá impelido pela saudade dos meus tempos de ginasiano  e secundarista em Teresina.

       São livros cheios de ensinamentos filológicos de alta erudição e de bem escolhidos textos informativos e literários dos melhores autores ingleses e americanos. Contêm lúcidas anotações sobre dificuldades e  idiomatismos  das línguas inglesa e francesa, textos humorísticos da época, ilustrações,  bem formulados  exercícios de prática oral  e escrita  a serem respondidos na target language que ainda são um regalo ao espírito, constituindo deliciosos momentos de prazerosas leituras, essas que muito tempo depois fiz desse notável estudioso de línguas estrangeiras. 

NOTA:

Em pesquisa ulterior,  obtive a informação de que  Matos Ibiapina, ao se aposentar pelo Colégio Militar, fora agraciado  com a patente de “coronel honorário” do Exército Brasileiro. Foi membro da  Academia Brasileira de Filologia,  da qual foi  um dos fundadores.  

 

Referências bibliográficas.

ALIANDRO, Hygino. Apud MATOS IBIAPANA, J. de. From facts to  grammar.  1st. vol.  Porto Alegre: Edição da Livraria do Globo, p. 156, 1933.

CARVALHO, Delgado de. Ibidem,  p. 154-155.

DODSWORTH, Henrique. Ibidem, p. 3. Prefácio à  primeira edição de From facts  to grammar.

RIBEIRO, João. Ibidem, p.155. Júlio de Matos Ibiapina – Wikipédia, a enciclopédia livre

MATOS IBIAPINA, Júlio. In: Widipédia, a enciclopédia livre .(Ver  no Google)

MENEZES,  Djacir. Ibidem,  p. 158-159.