Papo de Mercado apresenta rumos e aponta perspectivas e oportunidades na área para profissionais do setor e interessados neste segmento

 
Nem só de público ávido por leitura se faz uma Bienal do Livro. Dela também participam profissionais que pensam o setor, escrevem, vendem e estimulam a leitura no país. Ampliando a visibilidade e as atrações para este público “interno”, trazendo-os para o centro do debate acerca o movimento atual deste mercado, a CBL (Câmara Brasileira do Livro) apresenta uma novidade nesta edição da Bienal Internacional do Livro de São Paulo: o espaço Papo de Mercado.
 
Entre os dias 3 a 12 de agosto, no Anhembi, profissionais da área e demais interessados poderão compreender o cenário atual e refletir sobre os caminhos de um segmento tão importante para o fomento da educação e da cultura que vem assistindo a muitas mudanças. Em 2017 produziu 393,3 milhões de exemplares, vendeu 355 milhões e faturou R$ 5,17 bilhões, segundo a última pesquisa Produção e Vendas do Setor Editorial Brasileiro.  Já no varejo, contou com um crescimento real de 3,2% em 2017, com tendência de recuperação em 2018, segundo a Bookscan. 
 
“Queremos dar voz às reflexões do mundo do livro e valorizar discussões importantes do nosso setor, que vive momentos de reinvenção, com grandes oportunidades”, afirma Vera Esaú, Gerente de Relações Institucionais da CBL e curadora do espaço.
 
Na programação estão contemplados grandes tendências do segmento como a autopublicação, a importância do ilustrador para os livros infantis, o estímulo à leitura infantil e juvenil, além do papel das bibliotecas como propulsoras da formação leitora. Assuntos atuais como os programas do Plano Nacional do Livro e da Leitura também estarão presentes. A CBL lançará ainda o primeiro Guia para Livrarias Independentes – outra tendência do mercado. Voltado aos empreendedores interessados em abrir seu negócio longe dos grandes centros, o material será distribuído gratuitamente para os participantes dos debates, terá a versão digital que ficará disponível no site da CBL, da Associação Nacional de Livrarias (ANL), nos demais canais do mercado editorial, além das plataformas de empreendedorismo.
 
Entre os debates e mesas em destaque – que vão aguçar a curiosidade de um público especializado e para quem quer conhecer melhor o setor – estão: Sucessos e Desafios nos Planos Nacionais de Leitura na América Latina, com a participação de Renata Costa, secretaria-executiva do Plano Nacional do Livro e Leitura do MinC,  Marianne Ponsford, diretora do CERLALC (Centro Regional  para o Fomento do Livro na América Latina e Caribe), Marina Nuñez Bespalova, diretora de Publicações da Secretaria de Cultura do México e Karla Eliessetch Foncillas, coordenadora do Plano Nacional de Leitura do Chile; O que é e como trabalha o Agente Literário, com Lucia Riff, uma das pioneiras do setor, Alessandra Pires (O Agente Literário),  Alessandra Ruiz (Authoria Studio) e Ana Maria Santeiro (AMS Agência Literária); Autopublicação, com Ricardo Garrido, da Amazon Brasil, Sandra Espilotro, da e-galáxia, Daniel Pinsky da editora Labrador e Henrique Farinha da editora Évora; e O Livro para a Infância Hoje, com Silvana Salerno, do Estúdio Sabiá, e Julia Schwarcz, editora de literatura infantil da Companhia das Letras. Já para discutir também a relação do Brasil com o mercado internacional, possibilidade de intercâmbio de conhecimento e negócios, o espaço traz ainda a mesa redonda Como Negociar Direitos Autorais com o Mundo Árabe, com participação de Rawan Dabbas, Diretora de Relações Internacionais da Emirates Publishers Association de Sharjah – país convidado de honra desta Bienal.

Confira aqui a programação completa.