Grande sertão: veredas, de João Guimarães Rosa, vem provocando, desde seu lançamento em maio de 1956, uma nuvem de discursos críticos, com inumeráveis leituras e interpretações. Nesta edição histórica do cinquentenário desse romance, pode ser visualizada a diversidade dessa recepção crítica, com abordagens sociológicas, políticas, culturais, históricas, estilísticas, enfim, um universo amplo de leituras que exploram a amplitude potencial e multíplice do grande sertão rosiano