Uma história marcada por superações e entusiasmo. Assim é a trajetória do médico piauiense Jesuíto Soares Dantas. As vivências desde a vida no campo, no então povoado Coroatá, hoje Elesbão Veloso, até a bem-sucedida e laboriosa trajetória de médico em Teresina, ganharam edição em livro. Vida de um médico é o título da publicação, que saindo de suas mãos e reminiscências, traduzem um pouco do que viveu ao longo de oito décadas .

Dividido em quatro partes, o livro de memórias inicia-se com a reprodução de hábitos e costumes no povoado Coroatá, hora município de Elesbão Veloso, e na fazenda dos pais. ”Coroatá se apresentava como um lugar que , para mim, só tinha dois sentidos: trabalhar e estudar”, explica ao descrever o povoado e ao assinalar o que nele viveu quando ali teve o contato com os primeiros passos do ensino formal. Quando fala de “Buqueirão”, a fazenda da família,  o apreço  à vida no campo e as felicidades ali sentidas apresentam ao leitor os hábitos e costumes da vida na roça e na pecuária com as marcas das décadas de 1940 e 1950. Prende a atenção do leitor não apenas o retorno afetivo à paisagem da infância e da adolescência, mas a ternura com que relata episódios e descreve espaços, com um olhar terno, em que pinta um desenho agradável, ainda que sofrido, tanto de sua trajetória pessoal de superações quanto dos espaços em que se inseriu, entre eles, Teresina e Recife de sua mocidade.

Vida de um médico, além de contar os desafios do autor para vencer na vida, com o relato detalhado de seu empenho desde a infância, também percorre as dificuldades de se estabelecer como médico em um tempo de espaços sociais e profissionais demarcados por grupos políticos e familiares. Dedica-se Jesuíto Soares Dantas a revisitar o trabalho no Hospital do Segundo BEC e na Maternidade Evangelina Rosa, principalmente, e ao fornecer uma visão geral de como era ser médico na segunda metade do século XX no Piauí. 

Avaliando sua trajetória profissional, diz o autor Jesuíto Soares Dantas: “Vejo que vivi com intensidade a profissão que escolhi, experimentando-a diariamente como alimento para minha alma. Vivi a medicina como uma paixão, devotamente, no período de toda a minha atividade médica, independente de onde exercesse meu ofício. No período de 1970 a 2006, realizei entre partos normais, curetagem uterina, cesariana e cirurgias ginecológicas, um pouco mais de cem procedimentos por mês, oitenta por cento no Hospital do Segundo BEC e vinte por cento, em outros hospitais. Olhando para trás, eu percorreria os mesmos trajetos, sem hesitação, porque vivi o sonho que escolhi. Com o entusiasmo e a persistência que tudo vencem e tudo consagram. Olho para trás, para os hospitais onde atuei, para minha família, para as pacientes, para as lembranças de um tempo rico em trabalho e superações e certifico-me: não há limites para a vitória quanto enfrentamos os dias com o vigor que a vida requer.”

Toda a obra é uma exaltação do que é capaz de fazer a educação aos que se dedicam a ela e, tendo-a como instrumento indispensável para viver, persistem na busca de alcançar os ideais. Vida de um médico está disponível gratuitamente online no Portal Entretextos (www.portalentretextos.com.br), na seção livros online.