Na manhã desta sexta-feira (18) o presidente da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves, Luis Carlos Alves, ao lado do presidente da Academia Piauiense de letras, Nelson Nery Costa, divulgou o vencedor do Concurso de Obras Públicas Poeta H. Dobal. O ganhador foi o autor Enéas Barros com a obra "O Escravo e o Senhor da Parnaíba".

Em um total de trinta e duas obras inscritas, entre sete livros de poesia, três de conto, cinco de crônicas, catorze de romances, uma crítica/ensaio e duas obras científicas, Enéas levou o prêmio no valor de R$ 100 mil reais, oriundo de destinação de emenda parlamentar do deputado estadual Robert Rios à Fundação Monsenhor Chaves. Esse valor é um dos mais altos entre os concurso literários existentes no Brasil.

A obra ganhadora trata da saga da família Dias da Silva do litoral piauiense que teve como expoente, Domingos Dias da Silva, pai de Simplício Dias da Silva vulgo "Senhor da Parnaíba". Era uma família de fazendeiros, comerciantes, pessoas muito importantes na região onde Simplício Dias teve uma orquestra de escravos.  O livro aborda a história de um de seus escravos, no final do século XVIII até meados do século XIX.

Com quatorze livros publicados e cinco livros inéditos, Enéas Barros conta da felicidade em participar de um concurso tão importante para escritores locais. "É sempre bom quando você encontra uma oportunidade de mostrar sua obra para intelectuais. Esse concurso foi belíssimo em sua execução e acredito que ele dá maior visibilidade ao escritor piauiense e precisa que aconteça mais vezes para que mais escritores possam inscrever suas obras", disse o autor. 

De acordo com o presidente da FCMC, Luis Carlos Alves, o prêmio é uma maneira de incentivar e reconhecer a literatura teresinense. "O concurso e sua premiação tem um grande significado para a Fundação, pois é uma forma de incentivo, reconhecimento e valorização aos escritores da literatura teresinense", afirmou.

Os trabalhos foram julgados por uma comissão formada por cinco membros da APL e por cinco intelectuais ou professores designados pelo presidente da Academia Piauiense de letras, que prestaram assessoria para a comissão.

Além do ganhador, outras obras ganharam Menção Honrosa como: O Mistério das Bonecas de Porcelana, de Eneas Barros; Das Bocas Infernéticas, de Luiz Filho de Oliveira; A Cidade Vigiada, de Paulo Tabatinga; Palafila, de Luíza Cantanhêde; Historiografia Piauiense - Relações entre Escrita Histórica e Instituições Político-Culturais, de Iara Guerra; Símbolo de Fé e Amor - A História da Capelinha de Palha, de Pedro Alcântara; A Fortaleza de Crispim, de Eduardo Prazeres; Ajuste de Contas, de Wallery Giscar Desten; Joga O Barro Na Parede - Uma Canção de Amor e Paz, Coleção Século XXI nº 14. 

A terceira etapa do prêmio acontece na Prefeitura de Teresina no mês de setembro, onde o ganhador vai receber o prêmio das mãos do prefeito Firmino Filho.

ascom/FCMC