PSYCHO PASS 9: AKANE SE IMPÕE
Miguel Carqueija


O justiceiro Kogami Shinya já traçou o perfil psicológico do monstro assassino Makishima, que está assolando o Japão com crimes bárbaros em geral praticados por outros criminosos por ele manipulados. O Inspetor Ginoza, porém, traumatizado por fatos do passado e inclusive porque seu próprio pai foi um inspetor posteriormente rebaixado a justiceiro porque o seu coeficiente criminal subira no contato direto com o crime, não vê com bons olhos que a Inspetora Akane se misture com os justiceiros na investigação de campo. Akane não se conforma com isso e finalmente, explode num sério atrito com o seu colega.


Resenha do episódio 9 – Fruta do paraíso - do animê “Psycho Pass”, produzido por Koji Yamamoto e outros, e dirigido por Katsuyuki Motohiro – Production I.G., Japão, 2012-2013.


“Não admira seu psycho-pass estar sempre tão limpo.”
(Kogami para Akane)

“Esse homem deve ser o pior criminoso que já apareceu desde que surgiu o Sistema Sybila. Ele é um criminoso do colarinho branco, de alto nível, que consegue se manter saudável. Possuindo um carisma único, ele raramente mata com as próprias mãos. Ao invés disso, ele influencia outras pessoas a matar. Como um maestro musical, ele coordena um crime atrás do outro.”
(Kogami para Saiga Jouji)

Makishima trabalha agora com o esquisito e assustador empresário Seneuji Toyohisa, que defende a total “cibernização” do corpo humano, inclusive a mente, para atingir a imortalidade, e se jacta numa entrevista de ter já o corpo quase inteiramente cibernético. Toyohisa recebe de Makishima a incumbência de matar Kogami, o caçador da polícia que mais perto está em descobrir a verdade por trás dos assassinatos em série.
Tentando ajudar a Inspetora Tsunemori Akane, Kogami a apresenta a um criminalista que foi desprezado pela Secretaria de Segurança, o Professor Saiga Jouji. Ao saber do caso Ginoza, que antes se desculpara com Kogami, volta à carga e destrata a ambos, chamando Akane de “infantil”. Para Akane, porém, é incompreensível que uma detetive deixe os trabalhos de campo para os justiceiros sob o argumento de que, aproximando-se muito do crime, poderá se tornar ela própria uma criminosa latente, identificada como tal pelo Sistema Sybila. Ginoza ainda não enxergou que Akane é imune ao contágio dos maus instintos e que seu lado puro se manifesta no seu relacionamento com Candy, a pequena secretária holográfica flutuante que a serve em seu apartamento. Akane finalmente explode com Ginoza, cansada de ser cerceada pelo colega, num discurso bravo e taxativo:

“Estamos aqui para caçar criminosos ou proteger o nosso psycho pass? É verdade que eu sou nova aqui. Você é veterano, Inspetor Ginoza, e respeito isso. Mas por favor, não esqueça que somos iguais em termos de patente. Estou cuidando bem de minha matiz. Você pode ser mais velho, mas gostaria que parasse de questionar minha habilidade no local de trabalho, na frente dos justiceiros!”

Assim ela coloca os pingos nos is com Ginoza. 
Akane não pretende ficar nos bastidores na guerra que se trava contra o super-criminoso Makishima. Situações altamente dramáticas aguardam nos próximos episódios.



imagem do seriado (a Inspetora Akane)