É comum dizer-se na historiografia piauiense que o Arraial de Paulistas deu origem à atual cidade de Paulistana, no sudeste piauiense.

Porém, essa é uma afirmativa que merece reparo. Na verdade, teve o Piauí dois arraiais com essa designação. O primeiro foi fundado em 1661 ou 1662, por uma bandeira de paulistas que entrou no Piauí capitaneada por Domingos Jorge Velho e Francisco Dias de Siqueira. Esse primeiro arraial, o mais conhecido e importante, embora designado de Arraial de Santa Catarina, ficou popular e entrou para a História como Arraial de Paulistas. Segundo o padre Miguel de Carvalho, que o visitou antes de 1697, ficava localizado nas margens de um brejo com olhos d’água chamado Riacho de Santa Catarina, hoje Caatinguinha, afluente do Sambito, entre o Sítio da Catarina e a fazenda São Francisco. Essa localização está muito clara na Descrição do Sertão do Piauí, que deixou o referido padre memorialista(1697). Portanto, o velho Arraial de Paulistas é a atual cidade de Valença do Piauí.

Ocorre que, em 1719 entrou no sertão do Piauí uma última bandeira de paulistas, de que fazia parte o casal José Vieira de Carvalho e Maria Freire da Silva, fundando um novo Arraial de Paulistas no sudeste do Piauí. Tiveram oito filhos que deram origem às famílias Vieira de Carvalho, Coelho Rodrigues, Sousa Martins, Mendes, Araújo Costa, Miranda, Rocha, Costa Veloso, Ferreira de Carvalho, e algumas outras. Foi esse arraial e não o outro que deu origem à atual cidade de Paulistana.

Portanto, esperamos deixar esclarecida essa questão: o Arraial de Paulistas fundado por Domingos Jorge Velho e Francisco Dias de Siqueira, deu origem à cidade de Valença do Piauí; e o segundo Arraial de Paulistas fundado por José Vieira de Carvalho e outros deu origem à cidade de Paulistana. Um não tinha ligação com o outro, até porque foram fundados em épocas e contextos diferentes.

(Meio Norte, 7.8.2015).