Obituário: Max Nunes

Aos 92 anos de idade.

 

 


Jornal Zero Hora, Porto Alegre-RS, 11.6.2014

http://zh.clicrbs.com.br/rs/entretenimento/noticia/2014/06/humorista-roteirista-e-diretor-max-nunes-morre-aos-92-anos-4523937.html

 

Humorista, roteirista e diretor Max Nunes morre aos 92 anos

Nunes teve complicações após sofrer uma queda e quebrar a tíbia

11/06/2014 | 16h10
Humorista, roteirista e diretor Max Nunes morre aos 92 anos Reprodução/globo.com
Max Nunes foi homenageado pelo elenco de humor da Globo quando completou 90 anos Foto: Reprodução / globo.com

O humorista, roteirista e diretor Max Nunes morreu nesta quarta-feira, aos 92 anos. Ele estava internado no Hospital Samaritano, na zona sul do Rio de Janeiro, pois teve complicações de saúde após sofrer uma queda e fraturar a tíbia. Nunes escrevia para a televisão desde 1962, e, desde 2000 produzia textos para o Programa do Jô, com quem mantinha longeva parceria.

Formado em medicina em 1948, Max Newton Figueiredo Pereira Nunes especializou-se em cardiologia, chegou a exercer a profissão (dirigiu a seção de Ipanema do Instituto Brasileiro de Cardiologia), mas destacou-se por ser um dos pioneiros do humor no rádio e na TV brasileiros. Criou no rádio o programa Balança mas não Cai, que acabou migrando para TV, cinema e teatro de revista.

Nos anos 1950, Nunes ficou famoso também por compor marchinas, entre elas a famosa Bandeira Branca, escrita ao lado de Laércio Alves e gravada por Dalva de Oliveira para o carnaval de 1970.

A partir de 1962, começou a escrever para humorísticos da TV, como My Fair Show e Times Square. Em 1965, passou a roteirizar a dirigir Bairro Feliz, por onde passaram Grande Otelo e Mussum. No final da década de 1960, estreou os programas Riso Sinal Aberto e Canal 0 (posteriormente TV0-TV1). Este último utilizava como recurso a paródia de programas de TV, o que depois foi muito utilizado em humorísticos como Casseta e Planeta e TV Pirata.

Depois, fez parte das equipes dos programas Faça Humor, Não Faça Guerra, Satiricom, Planeta dos Homens e Viva o Gordo. A partir daí, deu início a uma parceria com Jô Soares que duraria até o final de sua vida. Desde 2000, Nunes escrevia roteiros para o Programa do Jô.

Quando Max Nunes completou 90 anos, o elenco do programa Zorra Total prestou uma homenagem ao humorista. "Um criador excepcional de tipos e bordões que jamais serão esquecidos. O Max é um dos homens mais inteligentes e talentosos da TV brasileira", disse o ator Milton Gonçalves. Jô também homenageou o humorista à época, interpretando um texto político de Nunes e cantando Bandeira Branca.