“NAMES”, NOVELA DE DALTON ALMEIDA

Miguel Carqueija

 

Resenha de “Names” (“uma história policial sci-fi”), de Dalton L. C. De Almeida. Dragonfly Editorial Ltda., S.Paulo-SP, 2016. Prefácio: L.H. Hoffmann (editor). Capa: Victor Caigue.

 

Muito original esta novela que estrutura um mundo futuro complexo e bem diferente do nosso, na verdade um mundo espacial e onde as paixões humanas continuam poderosas e impiedosas. Imensas naves espaciais atravessam o Cosmos, representando o conjunto de nações e continentes; um policial, Lucca Costa, da nave latina, investiga um crime que apresenta conotações peculiares. A Latina é uma das super-naves da Frota Real de colonização extra-solar. Sim, este futuro é monárquico, como aliás muitos mundos imaginados pela ficção científica.

A novela é hábil e instigante, porém admite alguns questionamentos. Por exemplo, por que o uso da expressão “sci-fi” — um estrangeirismo de pouco trânsito no Brasil — no subtítulo? E por que o próprio título da obra é “Names” e não “Nomes”? É um detalhe interessante que o nome que a pessoa usa, ou que deixa de usar, é algo de extraordinária importância na trama. Idem os meandros da política, onde nem tudo é o que parece, e onde a liberdade é posta em xeque por sutis manobras. Isso fica evidente quando Lucca e seus companheiros de investigação se vêem impotentes para dar solução definitiva ao caso.

É aos poucos que a gente toma gosto pela trama, que acaba num gancho excitante para uma possível continuação.

 

Rio de Janeiro, 12 de julho de 2018.