fruturo*

 

danem-se as ervas daninhas 

pra frente par somente se

vinhas amar bem semente

 

 

(Luiz Filho de Oliveira. BardoAmar. Teresina: Ed. do Autor, 2003.)

 

 

 

 

onde o poeta substitui um poema: o da arvorezinha que fazia pose por ibope no meio do seu caminho pela poesia

 

- ah...

meu velho Braga:

também perdi a agenda!

 

que tristeza...

meu camarada!

nela havia um poema...

 

a quem cantava?

a Bopp: aquele cabra Norato! cobra!

a ver a arvorezinha ser música o céu querendo

 

 

(Na sombra de um pé de crioli, no interior de Alto Longá.) 

 

 

(Luiz Filho de Oliveira. Onde Humano. Teresina: Nova Aliança, 2009.)

 

 ______________________________

*Neologismo criado por Oswald de Andrade.