[Doralice Araújo]

A manutenção do casario antigo é um modo de preservar a memória arquitetônica - ilha de Mosqueio, Belém, Pa- arq. pessoal 2012
Na semana passada estive na ilha de Mosqueiro, ilha fluvial que dista 65 Km de Belém. A visão de encanto e saudade de quem está distante dos lugares queridos sofreu, entretanto, impactos e constatações alvos da reflexão costumeira. A surpresa com a manutenção é rara e os maltratos às praias, por exemplo, a que vi na praia Grande serão temas de oportunas postagens, meu caro leitor.

Cadê aquele paredão natural de pedras que funcionava como um quebra da correnteza, ali na praia Gande? Quem autorizou a retirada da proteção e manutenção da praia? Mosqueiro, arq. pessoal 2012

Um dos meus irmãos fez conosco um minucioso tour pela Av. Beira-Mar. Eu e minhas irmãs, residentes agora em outras cidades brasileiras, sonhávamos com o momento de rever a grande avenida e diminuir a saudade. Queríamos avivar as lembranças que dela conservávamos na memória. Assim feito, todas as fotos dos casarões  e praias, mesmo sob os limites da câmera do celular serão compartilhadas, tal como fiz nas postagens anteriores. As imagens ajudarão a dimensionar a gravidade da situação, a beleza da ilha e as peculiaridades da região, ora tão perto dos meus olhos.
Detalhes na arquitetura antiga não interessam nem aos estudantes da área? Lambrequins saltam aos olhos nos antigos casarões - ilha de Mosqueiro, Belém,Pa, arq. pessoal 2012
A invasiva especulação imobiliária e as dificuldades financeiras dos proprietários de alguns dos casarões fotografados são evidentes; elas certamente traçarão o destino dos belos prédios, outrora residências praianas das famílias proprietárias. Ao ver o estado no qual se encontram as edificações lamento pela iminente perda da memória arquitetônica mosqueirense. 

Já esteve aqui em Belém e na ilha de Mosqueiro, meu caro leitor? Que tal conversarmos sobre o tema, mesmo que esteja distanciado geograficamente da região?