[Doralice Araújo]

Abaixo transcrevo a continuação do comentário feito ao Na Mira do Leitor pelo arq. Marcelo Lorenzati, um dos editores do blog O Lápis Verde, sobre o tema da Verticalização nas cidades. Além dos links sugeridos ao leitor pelo profissional, deixo o convite para que outros interlocutores participem da reflexão. Caso o leitor não tenha lido o comentário anterior, assim como a postagem que precedeu a webconversa, sugiro a leitura vertical da página.
 
   "  Metrópoles regionais com alto índice de ocupação afetam de diversas formas e maneiras uma urbe e sua população, um planejamento de diretrizes é imperativo! As formas de urbanismo livre e especulativo já foram experimentadas por diversas sociedades e capitais em meados do século XVIII e no início do século XIX, com resultados nefastos e avassaladores como epidemias e pestes de proporções dantescas, as quais deram origem aos inúmeros ‘códigos sanitários’ espalhados pelo mundo e que Oswaldo Cruz ajudou a instituir no Brasil.
 
A verticalização é um fenômeno urbano histórico, já foi registrada na Roma imperial, de 2000 anos atrás, através de construções muitíssimo avançadas para sua época, os ‘cubiculum’, os ‘triclinium’ eram situados em ‘condominium’, edifícios que compreendiam diversos proprietários situados ‘uns sobre os outros’ (verticalizados) e que dispunham de áreas próprias e áreas comuns, que deram base para todas as normas regulamentadoras de condomínios que temos nos dias de hoje, inclusive no Brasil.
 
O assunto é muito vasto, compreendem profundas e apaixonadas discussões sobre urbanismo, sua história e suas consequências, sem mencionar o dilema sustentável, que sem um responsável e consciente arquiteto e urbanista, tende a arrazoar nossa forma de viver em sociedade.
 
Certamente o assunto pauta para vestibulandos além de ser garantia para teses em mestrado e doutorado em inúmeras universidades, compreende o mais apaixonado estudo sobre tipologia em residências contemporâneas, agrega partidários emtipologia em residências contemporâneas, agrega partidários em soluções para organizações complexas de modalidade interdisciplinar, como edifícios de uso misto, onde existem tipologias residenciais, comerciais, empresariais, corporativas e de serviços, todos juntos, num só lugar, criando um novo minicentro e, replicando discussões sobre esse processo urbanístico, marca de nosso tempo.
Sugestões de leituras:  
 


http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,verticalizacao-atinge-todo-o-pais-e-1-em-cada-10-brasileiros-ja-mora-em-predios,742856,0.htm


http://pt.wikipedia.org/wiki/Verticaliza%C3%A7%C3%A3o_(urbanismo)
   "