Com certeza, o que o governo de Jair Bolsonaro deveria priorizar é a Reforma da Política. E para início de conversa é preciso abolir de vez as chamadas mordomias dos políticos.

Se o Senador José Antônio Reguffe pôde renunciar a TODAS elas - carro oficial, auxílio-moradia e por aí afora, até aposentadoria e plano de saúde de parlamentar, está demonstrado que político não precisa de mordomias. Elas são o começo da corrupção.

Quanto à trêfega Reforma da Previdência ela se baseia em dados falsos, em falácias, ignorando uma CPI do Senado (sic) que demonstra a incoerência da ideia, e ignora que as empresas devem quase 500 bilhões ao INSS, e que o grande buraco está sim, no serviço da dívida, que nos leva TRILHÕES por ano.

A Reforma da Previdência, se vier, poderá ser a desmoralização do governo Bolsonaro.

Não se pode melhorar a situação de um país piorando a do povo.