Marcelo Maluf -  Qual é o seu "lugar imaginário" favorito dentro da literatura?

Cláudio Fragata: Meu lugar inaugural dentro da literatura foi O Sítio do Pica-pau Amarelo, que explorei cada palmo sempre com grande encantamento. Depois descobri Tatipirun, a terra dos meninos pelados de Graciliano Ramos. E o País das Maravilhas, de Alice. Mais tarde foi a vez de Macondo. Hoje gosto muito da rua Brocá, do Pierre Gripari, para onde me mudaria agora mesmo com meus livros e meus gatos.


M. F. - Se você entrasse num labirinto e se deparasse com o Minotauro, o que você faria ou diria para ele?


CF:Nunca entendi como alguém que tem olhos de boi pode ser um monstro. Você já olhou dentro dos olhos de um boi? Eu já. Fui criado numa fazenda e convivi com eles. Por isso, acho o Minotauro de Borges mais verdadeiro. Ele o descreve como um ser solitário, que caminha exausto por corredores desertos e sem fim, ouvindo o eco de seus passos, chegando a inventar um duplo para ter com quem conversar. Acho que se me deparasse com o Minotauro, olharia dentro de seus olhos de boi, estenderia a mão e diria olá, amigo.


M.F. - Se você pudesse escolher ser um personagem da história da literatura, qual seria?


CF
: O Gato-de-Botas. Hummm... Pensando melhor, acho que também me daria muito bem como Peter Pan.


M. F. - Qual é a importância da imaginação no seu processo criativo?


CF: A imaginação é a fonte de tudo o que escrevo, é a grande matriz dos sonhos. Sem ela, eu não seria escritor. E já estaria há tempos usando uma camisa-de-força.


M. F. - Qual foi o autor ou livro que, na sua infância, te fez gostar de ler, ter o prazer da leitura?


CF:
 Desde que me entendo por gente sempre vivi cercado de livros, ouvia histórias de meus pais e meu irmão mais velho, adorava discos de histórias também. Penso que tudo isso junto despertou meu interesse pela leitura. Mas, sem dúvida, Monteiro Lobato e Lewis Carroll foram decisivos para me tornar um feliz dependente das palavras.

Cláudio Fragata é editor da revista Recreio, e autor dos livros As Filhas da Gata de Alice Moram Aqui, Seis Tombos e Um Pulinho e O Vôo Supersônico da Galinha Galatéia, publicados pela editora Record; A Princesinha Boca-suja, pela editora Scipione, e Balaio de Bichos, pela Difusão Cultural do Livro. Para saber mais acesse: www.quintaldoclaudio.com.br