BIOGRAFIA

Apesar de sua curta carreira literária, Aluísio Azevedo foi o principal representante do Realismo no Brasil. É curioso, então, saber que seu primeiro livro, Uma Lágrima de Mulher, seguia os padrões do Romantismo.

Nascido em São Luís do Maranhão, Aluísio Azevedo mudou-se aos 19 anos para o Rio de Janeiro a convite de seu irmão Artur, que já tinha destaque por suas obras teatrais cômicas. No Rio, estudou pintura e trabalhou como cartunista em jornais. Voltou para o Maranhão em 1878, após a morte do pai, e passou a trabalhar na imprensa e a investir na carreira de escritor.

Foi em seu segundo livro, O Mulato, que Aluísio Azevedo começou a seguir a trilha do Realismo e do Naturalismo. Esta obra acabou lhe gerando muitas inimizades em São Luís, por retratar os preconceitos da sociedade local da época. De volta ao Rio de Janeiro, passa a tentar viver da literatura, tornando-se talvez o primeiro escritor profissional do Brasil.

Esta carreira, que durou 10 anos, gerou obras como O Cortiço, considerado o grande romance naturalista brasileiro. Em 1891, porém, consegue um cargo no Governo do Estado, deixando a literatura em segundo plano; e acaba por abandoná-la definitivamente ao ingressar na carreira diplomática. Aluísio Azevedo chegou mesmo a vender os direitos sobre toda a sua obra literária para H. Garnier.

Morreu em Buenos Aires em 1913, aos 55 anos.

Principais obras:

O coruja;
História de São Paulo do Potengi;
História de Lagoa de Velhos;
Mattos, Malta ou Matta?: romance ao correr da pena;
A condessa Vésper;
Casa de pensão;
Livro de uma sogra;
O Japão;
O mulato;
Uma lágrima de mulher;
O cortiço - Cronologia do Rio Grande do Norte: cinco séculos de história.

AMOSTRAGEM

Aguarde

FORTUNA CRÍTICA

Aguarde