O professor Renato Bacelar, através de sua fundação, está realizando um trabalho fantástico na cidade de Parnaíba, de levantamento dos seus bens imóveis históricos. Por algumas vezes, visitei a sua antiga área portuária fluvial no Rio Igaraçu. Mas, esse belíssimo patrimônio, de indelével valor histórico, não é restrito apenas ao antigo posto fluvial. Ele se expande por grande parte da sede municipal, especialmente no centro. Estima-se em 327 imóveis, muitos em total abandono, já caindo. Outros, com as portas, janelas e tetos completamente desfigurados pela ação demolidora do sol, da chuva e do vento; além da ação predatória irresponsável do homem. E a indiferença dos administradores públicos.


Os prédios antigos de Parnaíba revelam uma época áurea das trocas comerciais nacionais e internacionais do Estado do Piauí, bem como um acentuado momento cultural e a pujança da economia piauiense, especialmente do setor primário, baseada nas charqueadas, na cera-de-carnaúba, no babaçu, couros e peles, e no tucum, além dos frutos do mar, tais como: peixe, camarão, caranguejo...


O tombamento pelo serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional de todos os 327 imóveis, com arquitetura inglesa (ou com estilos-inglês e português) que predominou na cidade no século XVIII poderá ser submetido à análise técnica da UNESCO e a área tornar-se Patrimônio da Humanidade. E daí advindo o fortalecimento do turismo, com oportunidade de geração de emprego e renda para muitos piauienses.


Todos aqueles armazéns, galpões, casarões, casas, muros, portas, janelas, paredes, telhas, azulejos, ladrilhos, tijolos... representam uma época, um período da história piauiense, que está se esvaindo da nossa memória quando, se preservado, como quer o advogado Renato Bacelar, será ponto de referência viva da história do Estado, rendendo dinheiro, mais história e perpetuação do nosso passado.


O trabalho do professor Renato Bacelar merece ser não só enaltecido, mas seguido e defendido por todos. O governo do Estado, independentemente de bandeira ideológica, deveria ajudá-lo sistematicamente, empenhando-se na recuperação daquele fantástico (repita) acervo histórico e cultural parnaibano. Que os políticos que representam a cidade ajudem o dr. Renato, colocando emendas orçamentárias para recuperação de todo aquele conjunto arquitetônico.

>