• 12:35:00 Eneas Barros saindo da conversa...
  • 12:34:50 Dílson Lages saindo da conversa...
  • 12:34:03 Carla Pires saindo da conversa...
  • 12:33:29 Eneas Barros Eu que agradeço
  • 12:32:51 Dílson Lages O Portal Entretextos gostaria de agradecer ao escritor Eneas Barros pela participação no bate-papo e espera contar com sua sabedoria noutras ocasiões. Obrigado a todos que participaram!
  • 12:31:28 Eneas Barros Cleuson, é possível até dizer que em certos textos há exagero na linguagem, mas isso era parte da necessidade que ele tinha de preserva valores culturais
  • 12:30:13 Eneas Barros Cleuson, toda a escrita de Fontes Ibiapina foi baseada em sua vivência,. Tenho provas disso. O estilo do autor é que fez a diferança, ao contar essa vivência de forma regional, simples, apegada ao dizer popular
  • 12:28:31 Cleuson Como assegurar que o material a que Fontes Ibiapina fez uso para sua escrita não seria um pano de fundo para o regionalismo tacanho infelizmente presente em alguns autores?
  • 12:27:07 Eneas Barros Cleuson, como pesquisador, todos os momentos de Fontes Ibiapina serviam de alguma forma para a sua criação. Como magistrado, marcou muito o conto "Dr. Pierre Chanfubois", baseado em um caso de Vara de Família.
  • 12:26:10 Eneas Barros Dilson, a maior descoberta é a infância e o início de sua vida literária
  • 12:24:45 Cleuson O magistrado em Fontes Ibiapina teria, em algum momento, se refletido na sua criação literária?
  • 12:23:07 Eneas Barros Pedro, a dinâmica das histórias contadas, saídas da imaginação do autor, é uma referência espetacular de sua criatividade. Ele escrevia várias histórias ao mesmo tempo e não se perdia. Acho que essa capacidade de criar também foi marcante.
  • 12:22:23 Cleuson entrando na conversa...
  • 12:21:10 Pedro Além do pitoresco na linguagem, do protagonismo da gente simples, o que mais se poderia destacar na obra de Fontes Ibiapina?
  • 12:20:43 Dílson Lages O senhor está escrevendo uma biografia de Fontes. O que pode antecipar sobre descobertas que serão conhecidas pelos leitores?
  • 12:20:24 Pedro Além do pitoresco na linguagem, do protagonismo da gente simples, o que mais se poderia destacar na obra de Fontes Ibiapina?
  • 12:18:21 Eneas Barros Dilson, o livro de contos "Chão de Meu Deus" me marcou profundamente. Quando estive na fazenda Lagoa Grande, recentemente, conversando com moradores e parentes, pude sentir toda a essência dos 8 contos que compõem o livro.
  • 12:17:37 Pedro entrando na conversa...
  • 12:16:50 Dílson Lages Considero Pedra Bruta, ao lado da Paremiologia, o melhor livro Fontes. Qual das obras de Fontes mais agrada o senhor?
  • 12:14:20 Eneas Barros A obra de Fontes Ibiapina não é apenas ficção pura. Ela retrata uma época e fortalece o entendimento de como se vivia, costumes, palavreados. Isso é marcante e dificilmente será superado.
  • 12:12:14 Eneas Barros Lucas, é difícil concorrer com a modernidade, mas o livro não vai acabar tão cedo. O modeno também remete à necessidade da busca de valores antigos
  • 12:12:06 Lucas Com a tendência crescente e acelerada da urbanização e seus novos valores no país, o senhor acredita que os escritos de Fontes Ibiapina conservarão sua considerável parcela de leitores?
  • 12:12:04 Lucas Com a tendência crescente e acelerada da urbanização e seus novos valores no país, o senhor acredita que os escritos de Fontes Ibiapina conservarão sua considerável parcela de leitores?
  • 12:11:28 Lucas Com a tendência crescente e acelerada da urbanização e seus novos valores no país, o senhor acredita que os escritos de Fontes Ibiapina conservarão sua considerável parcela de leitores?
  • 12:11:05 Lucas Com a tendência crescente e acelerada da urbanização e seus novos valores no país, o senhor acredita que os escritos de Fontes Ibiapina conservarão sua considerável parcela de leitores?
  • 12:10:17 Eneas Barros Carla, a biblioteca de Fontes Ibiapina era algo fenomenal, um mundo de curiosidades. Lembro bem que ele me deixava pesquisar, fuçar os seus livros, e essa convivência me marcou muito. Ele sempre me pedia para procuurar livros que havia perdido. Para mim, era mais do que prazer achá-los.
  • 12:10:10 Lucas Com a tendência crescente e acelerada da urbanização e seus novos valores no país, o senhor acredita que os escritos de Fontes Ibiapina conservarão sua considerável parcela de leitores?
  • 12:07:58 Eneas Barros Lucas, desde menino que me habituei a conviver com a biblioteca de Fontes Ibiapina e assisti a muito de seus momentos à máquina. Sofri sim influência do gosto pelos livros e pela leitura.
  • 12:06:25 Eneas Barros Dilson, Paremiologia foi escrito durante longos anos de anotações sobre observações do dia-a-dia. Depois, ele reuniu, agrupou e conseguiu fazer um trabalho de fôlego.
  • 12:06:12 Carla Pires Como neto de Fontes, quais recordações do avó estão mais vivas em suas memórias?
  • 12:05:23 Eneas Barros Dilson, alguns livros editados, principalmente recentemente, precisavam ter uma maior penetração no mercado, especialmente o póstumo Terreiro de Fazenda
  • 12:05:08 Lucas O senhor teria sofrido do avô, alguma relevantecontribuição para sua gênese inventiva?
  • 12:04:02 Dílson Lages Paremiologia nordestina é um livro de densa pesquisa sobre o falar nordestino. O senhor tem alguma informação sobre como ele escreveu esse livro?
  • 12:01:57 Eneas Barros Lucas, Fontes Ibiapia escreveu muit mais contos do que romances. Eu acho que o conto foi muito marcante, embora ele tenha sido um grande romancista
  • 12:00:38 Eneas Barros Fontes Ibiapina sai da comédia para o sofrimento. Lembro de uma passagem de "O Forrozeiro" em que o dono da casa, ao ver uma confusão que parou o fole, chegou esbaforido perguntando: "que chafurdo é esse?". Essa expressão, embora sérias no contexto, são muito engraçadas.
  • 11:58:33 Dílson Lages O senhor avalia que algum dos livros de Fontes Ibiapina editados merece ainda uma melhor acolhida dos leitores?
  • 11:58:09 Lucas Fontes Ibiapina teve sua maior expressão como contista, romancista ou folclorista?
  • 11:57:51 Eneas Barros Dilson, o fator determinante foi a forma espontânea de escrever, sem frases rebuscadas e retratando histórias que muitos poderiam se identificar ou pelo menos ter ciência. Ao se expor ao mercado literário, houve uma percepção de que as suas histórias tinham um conteúdo cuidadoso, bem realista ou regionalista. Isso ajudou à aceitação.
  • 11:55:28 Eneas Barros Não acredito que ele visse o povo nordestino como atrasado, mas de sofrimento por conta das agruras da seca. Essa pobreza ele via diariamente, as fugas por dias melhores, as mortes por inanição, os retirantes.
  • 11:54:11 Dílson Lages Que fator o senhor julga determinante para que Fontes Ibiapina tenha sido absorvido pelo sistema literario?