• 22:03:07 rogel saindo da conversa...
  • 22:02:04 cunhafilho saindo da conversa...
  • 22:00:37 cunhafilho Obirgado, Dílson , pelo instante desta oportunidade de falar com você e de ouvir reflexões de ooutros particpantes, mas o tempo urge...
  • 22:00:13 Dílson agora sim, boa noite!
  • 21:59:47 Dílson Finalizo ainda enfatizando que o povo desconhece a suagloriosa história em função dos governantes que tem
  • 21:58:09 Dílson Fileto e Taumaturgo serão em breve tema de bate-papo.
  • 21:57:37 Dílson boa noite!
  • 21:57:27 Dílson por ato do barrense, então governador do Piauí, Taumaturgo de Azevedo.
  • 21:57:20 rogel obrigado
  • 21:57:15 Dílson Vale ressaltar algumas datas que situam a idade de Barras. Em 1839, Barras é elevada à categoria de Freguesia. Em 24 de setembro de 1851 à categoria de vila e em 1889 à categoria de cidade,
  • 21:56:48 Dílson finalizo com essas informações:
  • 21:56:36 Dílson Em função do adiantamento da hora gostaria de finalizar a conversa e agradecer a todos que dela participaram
  • 21:52:55 Dílson estou escrevendo os primeiros capítulos de Vila de Barras do Marataoã, que recupera um pouco do período alvo dessa conversa
  • 21:51:27 cunhafilho Peercebo cada vez mais que escrever ficção é estar em sintonia coçm o dompinio da História. Não há como isolar-se a narrativa dos fatos que, numa determinada época, foram decisivos para a transfiguração do relato referenc
  • 21:47:33 Dílson uma reflexão sobre a vida no campo e suas desigualdades.
  • 21:45:15 Dílson Minha ficção modesta leva no fundo a uma reflexão sobre esta cidade
  • 21:41:07 cunhafilho Qual a importância que Barra do Maratoã tem ou terá para a ficção que está escrevendo? Desculpe-me por não primeiro desejar-lhe um boa noite
  • 21:40:44 Dílson Diga-se de passagem, desconhecida da maioria.
  • 21:40:12 Dílson Mas quase nada faz em defesa de sua história
  • 21:39:47 Dílson O povo realmente muito se orgulha
  • 21:39:22 Dílson Boa noite, grande professor Cunha Filho!
  • 21:38:55 Dílson O s estudos de Edgardo Pires Ferreira e Afonso Ligório Pires de Carvalho são um roteiro seguro, para quem deseja peswuisar sobre a história de Barras
  • 21:37:10 cunhafilho entrando na conversa...
  • 21:37:03 rogel e história gloriosa, de que o povo deveria orgulhar-se...
  • 21:36:17 Dílson Não há nenhum registro, tipo cemitério ou a história dessa gente em Barras, exceto os registros dos pesquisadores. Há um ignorância total em relaçãoà história.
  • 21:34:46 Dílson Fileto Pir4es Ferreira Também é um dos descendentes de José Carvalho de Almeida e Francisca Castelo Branco
  • 21:33:52 Dílson sim
  • 21:33:41 rogel ele proprio, afonso pires de carvalho, da mesma familia, não?
  • 21:33:12 Dílson Cabeceiras, hoje cidade, já era habitada em 1850. Era uma das várias fazendas pertencentes aos descendentes de Manuel Carvalhode Almeida
  • 21:31:53 Dílson A fazenda Cabeceiras, por exemplo, é um dos desdobramentos desses imbricamentos e foi pano de fundo para o livro Terra do Gado, de Afonso Ligório Pires de Carvalho.
  • 21:31:33 Dílson A catalogação dessas fazendas e suas relações, no sentido de desvendar como surgiam ou imbricavam é um assunto desafiador
  • 21:31:17 Dílson no fundo uma só gente, ligada por décadas em sucessivos casamentos entre primos. No início do século XIX, várias dessas famílias já estavam estabelecidas na região de Barras
  • 21:30:32 Dílson Buritizinho foi então o núcleo da formação de Barras, porém, várias fazendas iam se constituindo em torno da povoação das Barras, pertencentes aos Carvalho, aos Castelo Branco, aos Pires Ferreira, aos Rego, aos Lages, aos rebelo,
  • 21:29:52 Dílson José morreria em 1869, aos noventa e nove anos de idade. É considerado por muitos como uma das figuras que mais contribui com a organização de Barras vila e expressiva liderança política da região.
  • 21:29:13 Dílson sim, o marechal descende dele, é bisneto de José Carvalho de Almeida
  • 21:28:27 Dílson Francisco casou uma de suas filhas, Francisca Castelo Branco, com o primo José Carvalho de Almeida. O casal herdaria todos os bens de Francisco. José Carvalho de Almeida em 1831 e construiria a antiga igreja de Nossa Senhora
  • 21:28:09 rogel parentes do marechal castelo branco?
  • 21:27:41 Dílson Este professor e modesto escriba é descendente de Francisco Borges Leal Castelo Branco, um dentre os milhares, espalhados pelo Brasil
  • 21:26:36 Dílson Estes também não tiveram filhos e aos falecerem legaram ao seu parente Francisco Borges Leal Castelo Branco a posse e administração de todos os bens, incluídas as terras deixadas a Nossa Senhora da Conceição.
  • 21:26:13 Dílson O casal também não teve filhos e deixou os bens para seu sobrinho Manuel José da Cunha, que se casou com Inácia castelo Branco, neta de Manuel