• 22:59:45 ModeradorEntretextos saindo da conversa...
  • 22:59:29 Luiz Roberto Guedes Buenas noches a todos. Felicidades!
  • 22:58:55 ModeradorEntretextos Boa noite!
  • 22:58:25 Luiz Roberto Guedes Obrigado a voces, e peço desculpas, novamente, pelo atraso. Free lancer tem desses imprevistos. Saludos
  • 22:57:17 Luiz Roberto Guedes O interesse que ha nas oficinais seria, para o ministrador, encontrar gente nova e talentosa, que partilha de nossa devoção aa literatura/ e para os participantes, o contato com seus pares, a troca de visoes e experiencias. Quase como uma reunião de Alcoolatras Anonimos.
  • 22:56:30 ModeradorEntretextos em função do adiantado da hora, gostaria de agradecer sua participação no bate-papo, Guedes, é aproveitar para que informe sobre sua próxima oficina. Foi gratificante contar com sua presença. Obrigado!
  • 22:54:57 Luiz Roberto Guedes Nao tenho propriamente um ~interesse~ por oficinas. Ministro algumas, ocasionalmente, quando solicitado. Minha formação como escriba se deu entre quatro paredes, ao longo de eras. Na vida real, trabalhei como redator de publicidade, e mesmo esse treinamento foi recebido na trincheira, no dia a dia, com ~trainee~ de profissionais experientes.
  • 22:51:24 ModeradorEntretextos Como começou o seu interesse pelas oficinas literárias?
  • 22:51:23 Luiz Roberto Guedes O teor de uma oficina serah ditado pelos participantes, por aquilo que trazem, como texto, ou aquilo que buscam. Minha literatura juvenil eh muito ~informada~ pela literatura fantastica de todos os tempos, e eu procuro trabalhar esse genero em territorio brasileiro. Em geral, dou oficinas de ~literatura fantastica~, e isso ja seleciona um tipo especifico de autor, com interesses muito definidos. de
  • 22:49:59 ModeradorEntretextos entrando na conversa...
  • 22:48:50 Luiz Roberto Guedes Notei agora que minha resposta sobre ~concisão e clareza~ nao foi ao ar — falhou. Eu disse que Machado de Assis e Graciliano Ramos são meus santos de cabeceira, mas que aprecio tambem ao luxo verbal de um João Ubaldo Ribeiro, mcomo seu caudaloso ~Viva O Povo Brasileiro~.
  • 22:48:43 Pedro Paulo saindo da conversa...
  • 22:47:57 Pedro Paulo Você produz literatura infanto-juvenil. O que de sua experiência nesse campo é determinante no teor de suas oficinas?
  • 22:45:48 Luiz Roberto Guedes Se eu fosse um estatistico, diria que a memoria prepondera, eh mais ~operante~ que a imaginação// esta ultima tambem costuma decolar do ja sabido, assimilado, ~bebido~, como diz o Glauco. Claro que uma peça de ficção calcada na memoria tambem sera alterada pelo concurso da ~imaginação~. O caminho se faz ao andar, como disse o poeta Antonio Machado.
  • 22:42:41 Luiz Roberto Guedes (Por algum motivo, os acentos graficos ficaram inativos aqui nesta pagina)
  • 22:42:05 Pedro Paulo Qual o lugar da memória em sua oficinas?
  • 22:41:38 Luiz Roberto Guedes No que diz respeito a ~estilo~, essa escrita seca e objetiva se estabeleceu por conta de autores que praticaram o jornalismo (Hemingway [e um exemplo). Mas nao ha formulas certas para a expressão literraria. Glauco Mattoso costuma diser que ~cada um transpira aquilo que bebu~, para se referir aas influencias que o escritor ~iniciante~ recebe de seus modelos. O importante eh o autor ter muita consciencia da historia particular que pretende contar, e buscar sua maneira pessoal de narrar.
  • 22:37:53 Luiz Roberto Guedes Concisao
  • 22:36:47 edson cruz saindo da conversa...
  • 22:36:32 edson cruz Tranquilo, Guedes. nos falamos depois...
  • 22:35:57 edson cruz entrando na conversa...
  • 22:35:37 Pedro Paulo Quais as características de estilo que privilegia? Concisão e Clareza? Ou o quê?
  • 22:35:26 Luiz entrando na conversa...
  • 22:33:44 Luiz Roberto Guedes Boa noite, Edson Cruz! Desculpe o atraso.
  • 22:32:15 edson cruz saindo da conversa...
  • 22:30:37 Luiz Roberto Guedes Em oficinas, os particvipantes ja chegam escrevendo, produzindo, manifestanbdo seus pendores. O maximo que um ministrador pode fazer eh ser um ~facilitador~, apontar as qualidades que ja se insinuam nos textos de cada participante. Nao ha formulas nem ~saltos~ evolutivos: tudo passa pela pratica paciente
  • 22:28:58 Pedro Paulo entrando na conversa...
  • 22:25:41 Moderador O que faz de particular, nas oficinas, a fim de que os participantes descobram o estilo, aquilo que os individualiza?
  • 22:24:10 Luiz Roberto Guedes Minhas leituras teóricas sao esparsas e aleatorias. No entanto, acho que o autor nativo deve privilegiar aqueles que refletem sobre a nossa literatiura, gente do naipe de de Antonio Candido, Luiz Costa Lima e outros mestres. Como a poesia [e minha linguagem primeira, acabei lendo mais ensaios de poetas, como Octavio Paz, Eliot, Auden
  • 22:22:10 Moderador Com você costuma organizar suas oficinas?
  • 22:20:12 edson cruz aqui em sampa, já choveu, mas está abafado. calor...
  • 22:19:41 Moderador Amigos, aqui em Teresina chove bastante no momento. Chuva torrencial!
  • 22:19:07 Moderador Quais leituras teóricas você julga mais importantes para um escritor iniciante já experimentado na leitura dos clássicos?
  • 22:17:49 Luiz Roberto Guedes senso (auto)critico
  • 22:17:16 Luiz Roberto Guedes O que torna um escritor "melhor" (mais autoconsciente ou mais hábil) é a passagem do tempo, a leitura constante de ficionistas universais e nativos, e um implacável sento (auto)crítico.
  • 22:17:07 edson cruz grato pelo convite. grato a todos. espero não ter dito muita besteira.
  • 22:16:44 Moderador Obrigado pela participação, Edson!
  • 22:16:29 edson cruz fala, Guedes.
  • 22:15:04 edson cruz já falei demais. vai q é são suas, Guedes.
  • 22:14:47 Moderador A pergunta vai para ambos, para Guedes e para Edson?